A Adolescere disponibiliza serviços e outras iniciativas que promovam o bem – estar e qualidade de vida das crianças, dos adolescentes, das famílias e da comunidade, nomeadamente o apoio a crianças e adolescentes em situação de risco social e a sua integração e inclusão social e comunitária.

Serviços disponíveis

Gab. Apoio à Criança e AdolescenteServiço de Orientação e PsicologiaGab. Mediação FamiliarGab. Mediação EscolarFormação

Gab. Apoio à Criança e Adolescente

O Gabinete de Apoio à Criança e ao Adolescente disponibiliza um conjunto de serviços, através dos quais se estabelece uma rede de parcerias com várias entidades e promove um trabalho articulado entre Entidades – Gabinete – Escola – Famílias. Estes serviços objetivam a prestação de um serviço de qualidade no apoio à infância e à adolescência e proporcionam uma resposta mais integrada e eficaz aos casos identificados como problemáticos.
Para a concretização deste objetivo, a Associação Adolescere tem à disposição uma equipa multidisciplinar especializada que prestará os seguintes serviços e dinamizará ações para a melhoria da qualidade de vida das crianças e adolescentes em situação de risco social e emocional:
– Atendimento, aconselhamento e acompanhamento psicológico;
– Acompanhamento ludoterapêutico e psicoterapêutico;
– Apoio jurídico;
– Apoio multidisciplinar a crianças e adolescentes vítimas de maus tratos físicos e psicológicos;
– Formação de grupos de adolescentes, promovendo sessões de debate, partilha e reflexão sobre temas considerados pertinentes por esta população-alvo (bullying, violência no namoro, violência doméstica, sexualidade, igualdade de género, infodependência, entre outros);
– Adotar e fomentar a prática cultural, desportiva, recreativa, artística, social e outras, como instrumentos de intervenção multidisciplinar, funcionando como fatores de inclusão social e desenvolvimento integral das crianças e dos adolescentes;
– Assumir a educação e a formação como fatores de diferenciação estratégica e promotoras da inclusão social das crianças, dos adolescentes e das suas famílias;
– Adotar a cultura, a arte e o desporto como instrumentos de intervenção multidimensional;
– Assumir o trabalho em rede como uma metodologia de intervenção privilegiada.

O serviço de Psicologia disponibiliza:

  • Consultas psicológicas individuais para crianças/adolescentes, adultos e famílias identificadas com problemas ou dificuldades no domínio cognitivo, sócio-afetivo, comportamental, familiar entre outras.
  • Consultas psicológicas dirigidas a grupos de crianças/adolescentes identificados como grupos de risco, com o objetivo de prevenir a ocorrência de problemas (absentismo e/ou abandono escolar, comportamentos de risco, bullying, delinquência juvenil, adições, entre outros)
  • Programas individuais ou de grupo de formação em educação parental positiva
  • Programas de formação em competências sociais
  • Programas e atividades de caráter preventivo/promocional
  • Diagnóstico e intervenção em Dificuldades de Aprendizagem
  • Diagnóstico e intervenção em Necessidades Educativas Especiais
  • Orientação Vocacional e Profissional
  • Parcerias/colaboração com outros projetos e serviços da comunidade, nomeadamente articulação com: escolas secundárias e profissionais da área envolvente; Comissão de Proteção de Crianças e Jovens; Instituto de Emprego e Formação Profissional; Segurança Social; Centros de Saúde, Juntas de Freguesia e outros, com vista a uma intervenção coordenada de vários serviços na resolução cooperativa dos problemas e encaminhamento de crianças/adolescentes cujas problemáticas ultrapassem o âmbito de intervenção deste Serviço.
  • Colaboração com projetos em desenvolvimento na comunidade educativa, nomeadamente na área do combate ao abandono escolar, absentismo escolar e outros aspetos que comprometam a não conclusão da escolaridade obrigatória.

Coordenação: Dra. Isabel Santos.

Gab. Mediação Familiar

A mediação Familiar é um processo de natureza cooperativa, voluntário e confidencial, conduzido pelo mediador familiar de uma forma imparcial e no qual as partes devem envolver-se pessoal e ativamente na concretização de um acordo que melhor satisfaça os seus interesses.

Recorrer à Mediação Familiar significa edificar, com a ajuda do mediador, um projeto de vida futuro para aquela determinada família (porque embora de forma diferente, ela continua a ser uma família), para além do termo da relação conjugal. Optar pela Mediação Familiar é optar por procurar construir um novo modelo de relacionamento não conflitual, uma parceria entre os membros da família que, tendo mudado de forma, mantém as suas funções de criar e educar o(s) seu(s) filho(s).

O Gabinete
O Gabinete

A integração de um Gabinete de apoio à resolução alternativa de conflitos na Associação Adolescere permite aos clientes um acompanhamento de proximidade, através de um processo de mediação, que visa encontrar respostas adequadas/satisfatórias, às necessidades afetivas e jurídicas dos diferentes elementos da família, procurando facilitar a resolução dos conflitos de forma menos dolorosa possível e tendo em atenção a evidente necessidade de assegurar a proteção do superior interesse das crianças e dos adolescentes e do seu bem-estar.

Quando recorrer à Mediação Familiar?
Quando recorrer à Mediação Familiar?

A Mediação Familiar pode ser equacionada para a generalidade dos conflitos prementes nas relações familiares e destina-se à sua resolução de forma positiva.
O casal pode recorrer à Mediação Familiar antes do processo judiciário, na preparação do processo de divórcio, com base na reflexão e no diálogo, a fim de se prever todas as suas consequências. O casal pode recorrer ao mediador familiar para que se elabore um acordo equilibrado e justo, requerendo posteriormente à Conservatória que este mesmo acordo seja homologado por sentença.

Na fase judicial propriamente dita (pedida por iniciativa do magistrado, ou por iniciativa das partes), a mediação destina-se a casos de divórcio ou separação de pessoas e bens, separação judicial ou separação de facto e à resolução de todos os problemas eventualmente deles decorrentes, designadamente:
i) de regulação, alteração ou incumprimento do regime do Exercício das Responsabilidades Parentais;
ii) de atribuição ou alteração da casa morada de família;
iii) de atribuição ou alteração da pensão de alimentos provisórios e/ou definitivos;
iv) de partilha de bens; numa fase pós-judicial, sempre que a família tenha necessidade de reajustar as premissas do seu acordo ou no ressurgimento de um novo conflito.
Numa fase pós-judicial, a família pode recorrer à Mediação Familiar sempre que sinta necessidade de reajustar as premissas do seu acordo ou no ressurgimento de um novo conflito.

Papel do Mediador Familiar
Papel do Mediador Familiar

O mediador familiar tem como função mediar os conflitos entre os elementos da família, por forma a facilitar a comunicação e a resolução de dificuldades, promovendo um clima de consenso e responsabilidade. O mediador não irá julgar, nem decidir, nem resolver ou aconselhar mas sim possibilitar a construção de “pontes” de diálogo, fundamentais para alcançarem o entendimento e um acordo que satisfaça as partes envolvidas.

O mediador familiar assume um papel de importância elevada, no apoio à resolução alternativa de conflitos (extra-judicial) permitindo aos envolvidos um acompanhamento de proximidade, através de um processo de mediação, que visa encontrar respostas adequadas/satisfatórias, às necessidades afetivas (dificuldades de relacionamento e comunicação na família) e jurídicas, dos diferentes elementos da família. Com a ajuda de um mediador familiar, os membros do casal irão poder clarificar os pontos em relação aos quais não se encontram de acordo, negociando posteriormente os termos da sua regulação, por forma a atingir um Acordo ou Acordos que todos encarem como mutuamente aceitável (s) e, por isso, duradouros e que sejam uma base segura para a necessária reorganização do sistema familiar.

Enquadramento Jurídico
Enquadramento Jurídico
  • Constituição da República Portuguesa;
  • Código Civil;
  • Convenção sobre os Direitos da Criança;
  • O.T.M. (Organização Tutelar de Menores);
  • Despacho 18778/2007, de 22 de Agosto de 2007, Diário da República, nº 161, II série;
  • Recomendação R (98) 1 do Comité de Ministros sobre Mediação Familiar;
  • Diretiva 2008/52/EC do Parlamento Europeu sobre certos aspetos em matéria civil e comercial.

Gab. Mediação Escolar

A sua implementação decorre em contexto escolar, em parceria com várias escolas do concelho de Braga e tem como objetivos principais melhorar o clima escolar e promover a socialização dos alunos e a produção de identidades sociais, através da criação de novos espaços de socialização e de modelos alternativos de gestão de conflitos e das relações sociais, em contexto escolar.

O Gab. Mediação Escolar pretende prevenir o insucesso escolar e a indisciplina, promover a participação ativa de todos os agentes educativos, apoiar os alunos no sentido de desenvolverem competências de prevenção, resolução e redução de conflitos uns com os outros, desenvolver estratégias de inserção eficaz na comunidade, estabelecer parcerias estruturadas e eficazes entre todos os agentes educativos. Para cumprir estes objetivos, este serviço desenvolve:
a) Ações de sensibilização e de divulgação do projeto a toda a comunidade escolar;
b) Oficinas de formação de professores-mediadores e de alunos-mediadores;
e) Diagnóstico sobre a tipologia de conflitos existentes na escola e as respetivas estratégias de resolução;
f) Mediação socio cultural entre pares e etnias diversas;
g) Criação de Gabinetes de Mediação em contexto escolar;
i) Seminários temáticos;
j) Elaboração de um manual de referência de Mediação de Conflitos em Contexto Escolar.

Formação

O Departamento de Formação é um serviço criado pela Adolescere para responder às necessidades de uma maior oferta de formação inovadora quer para crianças, adolescentes e para as suas famílias, quer para profissionais que trabalhem nesta área de intervenção.

Contribuindo para a sustentabilidade da Associação e para a continuidade de outros projetos de cariz social, o Departamento de Formação Adolescere dedica-se ao desenvolvimento de ações de formação diversas, promotoras de mudança e de transformação pessoal e social, tendo como missão desenvolver ações de formação de qualidade, acreditadas, que pelo seu carácter multidisciplinar e inovador, ajudam os seus utentes e os profissionais das diferentes áreas a crescer e a progredir, pessoal e profissionalmente.

Tipos de Formação
Formação para Profissionais

Formação Contínua – para profissionais de diferentes áreas, com o objetivo de melhorarem o seu desempenho profissional através da aquisição de mais conhecimentos e um maior número de técnicas e métodos eficazes de trabalho.

Formação para Todos!

Formação Complementar – Ações de formação centradas nos diversos aspetos do desenvolvimento pessoal e social. Permitem aos formandos refletir e encontrar caminhos para a mudança de comportamentos e atitudes.

Workshops – Oficinas teórico-práticas de curta duração nas quais os formandos podem não só obter informação teórica sobre uma temática específica como praticar metodologias referentes a essa mesma temática.
Sessões formativas

  • Sessões formativas para a promoção da Igualdade de Género, Cidadania e Não Discriminação;
  • Sessões formativas de Competências Sociais;
  • Sessões formativas de Técnicas Eficientes de Poupança, de Gestão Doméstica e do Orçamento Familiar; Organização e Gestão de Tempo entre outras.

Seminários – Eventos que reúnem um conjunto de especialistas e cidadãos que debatem um determinado tema e que permitem a reflexão conjunta sobre o mesmo tema.

Oferta formativa
A oferta formativa da Adolescere pode apresentar diferentes formatos, quer em termos metodológicos, quer em termos de duração. Conheça o plano formação para 2017 – aqui. No entanto eis outros temas incluídos na nossa oferta formativa:

  • Formação de Apoio a Técnicos e Organizações
  • Planeamento, Gestão e Avaliação de Projetos
  • Liderança e Coordenação de Equipas
  • Trabalho Social e de Orientação
  • Gestão de Comportamentos Desafiantes
  • Técnicas Criativas Aplicadas à Intervenção Social
  • Técnicas de Intervenção com Jovens em Risco
  • Intervenção em Famílias Problemáticas
  • Técnicas de Coaching para Públicos Vulneráveis
  • Formação para Desenvolvimento Pessoal
  • Técnicas para a Gestão de Stress
  • Transformação Positiva de Conflitos
  • Comunicação Assertiva / Não – Violenta
  • Resolução de Problemas e Tomadas de Decisão
  • Gestão de Estereótipos e Preconceitos
  • Inteligência Emocional, Motivação e Criatividade
  • Métodos e Técnicas de Procura de Emprego
  • Métodos de Estudo e Combate à Ansiedade dos Exames
  • Formação para Professores & Auxiliares
  • Compreensão dos Fenómenos de Bullying
  • Educação Sexual em Contexto Escolar
  • Gestão dos Aspetos Multiculturais em Sala / no Contexto Escola
  • Técnicas para a Criatividade em Sala de Aula
  • Gestão de Comportamentos Desafiantes
Share